25 de outubro de 2008

Aprendi muito a viver no/com o tempo das coisas, que acontece no tempo...

Lentamente [Lenta.mente] [Ler.tua.mente]
Fazendo na ação, o que defendo no discurso, de que:

"falamos muito mais claramente o que sentimos, porque realmente sentimos... bem como o que queremos, porque realmente queremos"




Deixo claro que:

Sou uma mulher/jovem/menina, cheia de vivências,expectativas, tombos e saltos... Estou solteira, por opção, por manter o meu respeito próprio e não querer imaturidades nas relações, querer o respeito acima de tudo... o respeito ao que sinto e penso...

Não preciso/quero em minha vida volúpias passageiras ou comodismos afetivos...
Mas, em momento algum encontro-me bitolada em conceitos ou me negando a possibilidade de ser feliz, só estou redirecionando meu foco em outros objetivos...

Não sou utópica (no mal sentido), em acreditar no "amor eterno" ou "final feliz", acredito que tudo tem seu momento e deve ser vivido sempre, aprender é o lema.


Não tenho medo das relações, busco apenas me preservar e não criar demais expectativas (é... analisando melhor, pode ser um pouco de medo, mas enfim rsrs, ninguém é perfeito)

2 comentários:

fernando disse...

SOLTEIRA POR OPÇAO???
HAHAHA ISSO NAO EXISTE
O QUE QUERES CAMUFLAR????

PRA QUE COLOCAR MASCARAS???
SE ESTÁS SOLTEIRA É PORQUE NAO INTERESSAS A NINGUEM NEM DO PASSADO E NEM DO PRESENTE
ACORDA.

joao henrique disse...

aff... tipico q quem ainda sofre por um amor perdido... ops amor nao... pq qndo é amor é pra sempre. "paixao" ;p
mas relaxa gata ... se num deu perdeu... rsrsrsrsrs